musica-e-historia

Toda música é uma história. E você decide como vai ser contada

Toda música é uma história. E você decide como vai ser contada

Toda música tem uma história por trás de si. E a maioria das músicas nada mais é do que um jeito que o compositor encontrou de contar essa história. Isso tem tudo a ver com o estabelecimento de um vínculo emocional entre a canção e o ouvinte.

Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas todo compositor, antes de começar a escrever uma música, se depara com duas grandes dúvidas:

  1. sobre o que eu vou falar nessa música?
  2. como eu vou falar sobre isso?  

E, por incrível que pareça, responder a essas duas perguntas pode ser até mais difícil do que compor a música. Vamos falar um pouco sobre isso.

Por que o tema de uma música é tão importante?

Há incontáveis fatores que fazem com que uma música toque o coração das pessoas. A beleza da melodia, a sua forma, a forma como foi produzida, enfim… Entre esses fatores, sem a menor dúvida, está o tema da música. Vamos dar aqui alguns exemplos:

  • amor;
  • política;
  • despedidas;
  • amizades;
  • doenças;
  • consolo;
  • drogas;
  • dança;
  • seu país;
  • sua cidade;
  • um time de futebol;
  • viagens;
  • conquistas
  • esperança

Poderíamos  passar horas citando temas para se escrever uma música. E mesmo depois de escolher o tema, ainda temos que pensar em como vamos abordar esse tema. Porque a forma de contar essa história, ou seja, de abordar o tema, é que vai tornar a música envolvente. Em outras palavras, que vai ser capaz de estabelecer um vínculo emocional com o ouvinte. 

Vou tentar explicar isso de outra forma, dando o exemplo do cinema. Vamos pegar o filme Titanic.

É uma super história, contada de uma forma magistral pelo diretor James Cameron. Foi, por muitos anos, o maior sucesso de bilheteria da história do cinema. Certamente, a forma de contar essa história é que foi o fator mais importante para que o filme fizesse tanto sucesso. 

Mas essa mesma história poderia ser resumida assim: “o maior navio do mundo sai de Londres, bate num iceberg e afunda, matando milhares de pessoas”.

Quem se envolveria emocionalmente com uma história contada dessa maneira?

Eric Clapton escreveu Wonderful Tonight para a esposa, que não parava de reclamar porque não estava encontrando a roupa certa para eles saírem. E a abordagem dele foi dizer a ela como estava maravilhosa naquela noite.

O mesmo Eric Clapton escreveu uma obra prima ao escrever Tears in Heaven, uma espécie de carta dedicada ao seu filho de 4 anos que morreu em um trágico acidente. E fez isso falando que naquele dia havia lágrimas no céu.

Luiz Gonzaga escreveu a magnífica Asa Branca para falar da seca que assola o Nordeste e tanto sofrimento traz ao povo que vive naquela região. Para contar essa história, Gonzagão pergunta a Deus “por que tamanha judiação?”

Já seu filho, Luiz Gonzaga Junior, o Gonzaguinha, resolveu fazer uma música falando de alegria. E compôs um clássico falando sobre “Viver e não ter a vergonha de ser feliz” em O que é, o que é?

Gilberto Gil, do alto de seu talento infinito, escreveu uma canção (sensacional, diga-se de passagem) que fala da Pílula de Alho!!! A música parece uma bula de remédio. E é maravilhosa.

Todas as melodias e harmonias são maravilhosas nessas composições. Mas as histórias são contadas de uma maneira sensível e autêntica.

E isso faz com que as pessoas passem a memorizar as letras, cantarem, se emocionarem com as histórias que estão sendo contadas.

Gilberto Gil, do alto de seu talento infinito, escreveu uma canção (sensacional, diga-se de passagem) que fala da Pílula de Alho

Escolhi o tema. E agora?

Escolher o tema é apenas parte do trabalho de composição. Dentro desse tema, ainda há um universo enorme de assuntos que podem ser desenvolvidos Quer ver?

O tema é amor

  • infidelidade;
  • saudades;
  • distância;
  • café da manhã juntos;
  • beijos;
  • abraços;
  • casamento;
  • sexo;

O tema é política

  • consciência;
  • participação;
  • combatividade;
  • crítica social;
  • corrupção;
  • revolta;
  • dignidade
  • patriotismo

O mais importante é entender que existe muito trabalho por trás de uma composição bem escrita. 

Thomas Edison, o inventor da lâmpada, tem uma  frase lapidar relacionada a esforço e talento:
“talento é 1% de inspiração e 99% de transpiração”. Ela diz muito a respeito da quantidade de esforço necessário para se chegar a um bom resultado.

Em outras palavras. A escolha do tema, a escolha da abordagem são etapas que, além de fundamentais, requerem muito trabalho e dedicação.

A quantidade de energia que colocarmos nessa fase da composição será de fundamental importância na qualidade da música que estamos compondo.

Mas essa é a melhor notícia de todas para quem está compondo. Porque através de todo esse esforço é possível criar músicas legais. Então, caneta e instrumento na mão, paciência. E mãos à obra.

A Importância da forma na composição musical

A forma de uma canção é muito importante para que o público entenda, assimile e memorize uma canção. Então, se você quer que o público cante sua música, comece a dar importância à forma na hora de compor.

 1. Você sabe dizer o nome desta forma?

2. E desta?

 3.  E essa aqui?

Evidentemente que uma grande parte das pessoas saberia identificar o retângulo da figura 1 ou o círculo da figura 2. Além disso, se nós tirássemos esta folha daqui e pedíssemos para alguém desenhar a figura 1 ou a figura 2, certamente um grande número de pessoas conseguiria fazê-lo.

Mas e seu eu perguntasse o nome ou pedisse para desenhar a figura 3, qual seria o resultado?

Com certeza, muito menos pessoas teriam capacidade de fazer isso.

Com a composição musical acontece a mesma coisa: se ela tiver uma forma simples, constante e definida, o público reconhece e memoriza e a música muito mais facilmente. E por que isso é importante? Porque o público consome muito mais as músicas que consegue aprender com facilidade.

Mas, afinal, o que é a forma da música?

Há incontáveis definições para a forma da música. Nosso objetivo aqui é traduzir isso em uma linguagem simples e de fácil entendimento para o compositor popular, que é o principal cliente do Grave Online®

De maneira geral, toda música é composta por versos que são agrupados em estrofes

Vamos começar estudando uma música muito famosa e conhecida, mas que tem uma estrutura bem simples: a magistral canção de Tom Jobim e Vinícius de Moraes: 

forma-musica

Garota de Ipanema

PARTE A

Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça

É ela menina que vem e que passa

Num doce balanço caminho do mar

PARTE A 2

Moça do corpo dourado do sol de Ipanema

O seu balançado é mais que um poema

É a coisa mais linda que eu já vi passar

PARTE B

Ah! Por que tudo é tão triste

Ah! Por que estou tão sozinho

Ah! A beleza que existe

A beleza que não é só minha

Que também passa sozinha

PARTE A 3

Ah! Se ela soubesse que quando ela passa

O mundo inteirinho se enche de graça

E fica mais lindo por causa do amor

Essa composição espetacular tem 3 partes A e uma parte B. Forma AABA 

Então as estrofes são esses ‘’blocos” de texto que nós vemos quando olhamos para a letra de uma música. E os versos são cada uma das linhas que compõem esses blocos (temos que conferir essa nomenclatura). 

Compor uma música com uma boa forma é construir a estrutura da música pensando nesses blocos.

Especialmente na forma dos blocos que têm o mesmo nome. Em outras palavras, escrever blocos com o mesmo nome quase sempre implica em escrevê-los com o mesmo número de versos e com versos com o mesmo tamanho.

Aqui achei confuso, mais uma vez, questão de decidir a nomenclatura que vamos usar. 

Veja, por exemplo, em Garota de Ipanema, que tem… 

3 PARTES A: 

Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça

É ela menina que vem e que passa

Num doce balanço caminho do mar

Moça do corpo dourado do sol de Ipanema

O seu balançado é mais que um poema

É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah! Se ela soubesse que quando ela passa

O mundo inteirinho se enche de graça

E fica mais lindo por causa do amor

e 1 PARTE B:

Ah! Por que tudo é tão triste

Ah! Por que estou tão sozinho

Ah! A beleza que existe

A beleza que não é só minha

Que também passa sozinha

Note que o formato das 3 PARTES A é muito parecido. 

E a parte B, que é um bloco diferente, tem também uma estrutura diferente das partes A.

Mais ainda: se você trocar as linhas vermelhas, azuis e pretas das partes A entre si, a música continua sendo cantada exatamente da mesma maneira.

Como compositor, você PRECISA pensar nesse tipo de detalhe. Garota de Ipanema, por exemplo, é uma das músicas brasileiras mais conhecidas do mundo exatamente porque tem uma forma que fez com que o público guardasse a letra e a melodia muito rapidamente.

É trabalhoso, leva tempo, mas vale a pena.

Ao longo das próximas semanas vamos publicar outras análises de formas de canções famosas para vocês.

Garota de Ipanema, de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, é uma das músicas brasileiras mais conhecidas do mundo exatamente porque tem uma forma que fez com que o público guardasse a letra e a melodia muito rapidamente.
Escrito por Moisés Seba Neto

Escrito por Moisés Seba Neto

Sócio fundador do Grave Online, responsável pela pré-produção, atendimento ao artista e um incrível guitarrista de mão cheia.

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *